sábado, 21 de outubro de 2017

AMIGOS DO PEITO (138)


AS BOAS INICIATIVAS TEM QUE SER INCENTIVADAS – NOITE DAS RAINHAS É A CARA DE JORGE SANTTANNA

Todo mundo que está no meio do que se intitula Carnaval em Bauru conhece o Jorge Santtanna. Ele já inscreveu seu nome no panteão dos que gostam, entendem e produzem Carnaval. Ano passado, mesmo de pé quebrado e na iminência de perder o pé, deu seu jeito e botou o bloco na rua. Foi visto na avenida do samba de cadeiras de rodas e com o pé todo encalacrado em parafusos. Não conseguiria ficar em casa naqueles dias, correu seus riscos e deu tudo certo, está por aí, andando novamente e sempre aprontando das suas, com alvissareiras novidades. A mais nova delas ocorre agora, domingo próximo, dia 22, com a inusitada reunião de todas as RAINHAS que um dia já desfilaram no Carnaval da cidade. Ele vasculhou fundo, buscou gente do fundo do baú e movimentou o mundo do Carnaval. Não se fala em outra coisa na cidade. Soube buscar um tema envolvente e levanta novamente o assunto. Palmas para o Jorge, brilhante criador de belezuras em nossa festa, pois de sua verve criativa saem algumas das maravilhas presenciadas no Sambódromo.

Grandioso isso de reunir todas (ou quase todas) as rainhas do Carnaval, tanto que mereceu do sambista do Coletivo Samba, Ivo Fernandes o seguinte comentário: “Umas da iniciativas mais inovadoras que já vi!!!! De suma importância, o desdobramento deste evento para outros de tal formato vai trazer a valorização das mulheres do carnaval!!! Parabéns pela iniciativa do Jorge Santtanna!!!”. Disse tudo. Se a ideia foi dele, está de parabéns e se não foi, que o sucesso alcance a todos. Eu adoro gente que se mexe, que vai atrás, busca e coloca o bloco na rua. Jorge sempre foi um desses, encanta por causa disto, uma disposição que não tem fim. Um evento desta magnitude precisa ter um pouco de loucura junto, de alguém consciente para conseguir conciliar essas rainhas todas, ainda mais juntas. Um pobre mortal teria dificuldade, Jorge não, pois ele não é normal, faz parte do mundo dos que ousam e daí, fazem e acontecem. Tanto que, na sua apresentação do facebook lá está: “EU SOU O QUE LHE PAREÇO SER... COM TODAS... E COM NENHUMA CONTRADIÇÃO!!!”.

Esse é mais um dos eventos de sua verve, para a Esquadra da Indepa, o bloco, já mais que escola, lá da vila Independência. Peço a ele a relação das rainhas e ele me diz da loucura que é querer reunir 39 rainhas do Carnaval e ou agremiações, duas In Memoriam, mais um Rei e um Príncipe de Bateria. Foram dois meses de intensos contatos, até oficializar o Encontro/Festa, NOITE DAS RAINHAS, uma marca sua, que segundo ele, se realizará todo ano, demarcando o início da festa ainda no final do ano. Marcado para a casa noturna Dom Caixote, na avenida Getúlio Vargas 5-65, a partir das 19h, além do sucesso já garantido, pois os ingressos se evaporam, a agitação entre elas é imensa. Promete algo ao seu estilo com uma produção hollywoodiana no local, bem ao estilo para recepcionar uma galeria de agraciadas rainhas. Numa produção com muita gente envolvida, Jorge está por esses dias com a agenda cheia, sem tempo nem para respirar e segue adiante na realização de mais esse sonho. Lea e Tuba, do programa Nota Dez serão os apresentadores, revivendo também algo que sempre gostaram de fazer nos Carnavais bauruenses. O evento tem tudo para dar certo, com presença já confirmada de rainhas da década de 80, 90, a atual Rainha e também a da Diversidade E DA Terceira Idade. O nome do troféu recai sobre "CELINA MARIA APARECIDA LIMA", baluarte do samba, da extinta Mocidade de Vila Falcão, onde além de diretora, chefiou a Ala das Baiana. E no meio disso tudo um show com nada menos que Jô Moura, outra diva do samba e também do Carnaval de Bauru.

Ele me passa a lista e insiste, serão agora 45 rainhas presentes, na ordem enviada por ele:
CRISTIANE LUDGERO, MAYARA SERRA, DRI RODRIGUES, FERNANDA REGINA, FERNANDA BATALHA, DANIELLY ANGELL, DÉBBY BATISTA, DANIELA DERÊNCIO, MARIA INÊS SILVEIRA, JOSIANE QUELUZ, LARISSA DA SILVA, DERIDIANE DA COSTA, SASHA PEARL, KELLEN GOMES, JULIANA MARY, DENISE AMARAL, KATIA FARIA, EDILAINE CRISTINA, VALENTINA VAL PRYNS, CLAUDIA NEVES, ADRYANA PEREIRA, JULIANA DULLORENS, GISELA XAVIER, JULIELEN DE FÁTIMA MATOS, KELLY CRISTINA VICENTE, VIVIANY SANTOS, JÉSSICA DIAS, REBEKA'S KEN, LIGYA MARIANO, MARIANA DECK, ANA LÚCIA SILVA TIBURCIO, GREICI ANE BALDONI, JULIA LOPES, ANA PAULA DE CONTI, NATALIA BERTIZOLI, GREICI RIBEIRO, SHEYLA LÁZARO DE PAULA CARDOSO, MARCIO KABEL, THAIKE KABEL BEM COMO AS HOMENAGENS PÓSTUMAS À ELUZETE SILVEIRA E ANGÉLICA INOCÊNCIO!!!!

Diante de tantos nomes conhecidos do mundo do samba bauruense, ele ainda promete mais: “Há surpresas que ainda não posso contar, o que fará da noite irrepreensível”. Tenho certeza que será também inesquecível, daí neste domingo, todos e todas na Noite das Rainhas. Aplaudo em pé a belissima iniciativa do Jorge.

sexta-feira, 20 de outubro de 2017

UM LUGAR POR AÍ (100)


O QUE A INGLATERRA TEM A VER COM ISSO? – DUAS HISTÓRIAS

Isso só pode ser assunto para uma sexta-feira...

HISTÓRIA 1 – Ana Bia recebe ligação logo pela manhã de uma baita amiga, agora morando na Inglaterra. Foi conversa longa e quando desligou, vira para mim e diz: “Olha o que ouvi dela. Disse que nesses dias havia falado com vários aqui do Brasil e em todos uma constatação. Além da conversa, comum em todas as conversas algo de dificuldades, problemas, tensões, ou seja, todos estavam reclamando. Ela me disse que nunca havia notado um grau tão elevado de brasileiros preocupados, com suas vidas em dificuldade, receio de algo, como se estivessem perdidos no meio de um tiroteio, desorientados”. Falamos a respeito e nossa conclusão é isso que também vivenciamos. A amiga da Ana não descobriu a pólvora, mas percebeu nas conversas algo do atual sentimento nacional, desolação total e absoluta diante dos quadrilheiros no poder. Estamos todos encalacrados e atolados até o pescoço com a crueldade de onde nos enfiaram. Cada um curte à sua maneira algo da piora do país, dor interna aguda, dívidas acumuladas, doenças agravadas, úlceras dilatadas, instabilidade, desconserto e desestabilização generalizada. Todos com aquele sentimento de que algo nos persegue e se isso ainda não ocorre, estamos por um fio. Em cada um de nós uma dolorosa história, resultado disso que esses insanos e cruéis golpistas fizeram com o país, destruindo sonhos e destruindo possibilidades de uma vida saudável. Eu mesmo tenho uma longa e dolorosa história de depressão provocada pelo vendido e sacana Brasil soltando a franga. Querem ouvir? Estão com tempo?

HISTÓRIA 2 – Numa das passadas do filho por aqui falamos sobre a saída da Inglaterra da União Européia, o Brexit. Ele me faz perguntas inteligentes e delas a conversa se prolonga: “Você imagina o que a geração de jovens ingleses perdeu com a Europa de fora do Brexit?”. Assunto para mais de metro. Divagávamos em meio a essa turbulência brasileira, até chegar no assunto onde finalizamos a conversa. “A Inglaterra é um dos mais novos paraísos fiscais do planeta. Sabia que, ela possui um dos metros quadrados mais caros do planeta? Sim, lá em Londres existe um condomínio com preços inimagináveis para pobres mortais. Nele só os magnatas do mundo, todos os que fazem negócios estratosféricos mundo afora, como os sheiks árabes, os mafiosos russos, judeus da mais alta estirpe, donos das corporações mundiais, tudo reunidos num só local. A saída da União Europeia ocorre muito mais por pressão desses, para que seus negócios frutifiquem sem controle de outros países. O condomínio deles é um mundo a parte, leis próprias e a maior concentração de grana por metro quadrado do planeta. Ali está sendo decidido os destinos do mundo, as grandes negociatas do planeta. Pesquise e vai encontrar muita coisa para ler sobre isso”. Anotei num papel e ele ficou por mais de mês aqui num amontoado diante do meu computador, desses tantos esperando o momento de virar um texto. Hoje pesquisei e constatei a veracidade do que havia me dito. Meu filho é meu alento para papos deste tipo. Ainda bem que o tenho. Leiam isso: https://www.idealista.pt/…/14047-os-bairros-dos-milionarios….

quinta-feira, 19 de outubro de 2017

BAURU POR AÍ (145)


A BAURU OCULTA NAS ESTRELAS
Quando algo acontece pela aí, poderia muito bem acontecer por aqui:
1 – O governo do temerário quer enviar para as mãos da polícia italiana um condenado por lá e, por decisão anterior da Justiça brasileira, decidido que aqui poderia continuar livremente. Cesare Battisti seu nome. Nas ruas me questionam se o gajo vai ser devolvido, não poderiam se aproveitar da mesma jactância da lei e enviar de volta para o Líbano o nosso deputado estadual Pedro Tobias, aquele cujos seus amigos estão envolvidos na questiúncula com a AHB – Associação Hospitalar de Bauru, no denominado mensalão bauruense. Ouo dizer que, por lá, andam necessitando de alguém fluente na língua nativa libanesa, algo que o nobre deputado continua especialista. Meras ideias.

2 – O digníssimo governo municipal bauruense, administração Clodoaldo Gazzetta está, numa manobra de mestre, sugerindo para a Justiça que a também digníssima empresa Instituto Branemark, que tantos reconhecidos serviços prestaram à comunidade bauruense desde sua gratuita instalação em terras nativas permaneça por mais um ano no local, região de alto valor imobiliário, pois gente fina deve ser tratada de forma fina e educada. Já ouço dizer que, o mesmo procedimento não está ocorrendo por parte do prefeito com os assentados urbanos de Bauru, que só clamam pela mesma parcimônia elástica de tempo, ou seja, ser tratados como gente fina. Será possível?

3 – As muitas Caminhadas pela Vida ocorrendo na mais cult avenida bauruense, a Getúlio Vargas movimentam mais e mais pessoas, todas muito interessadas em se doar em prol de ajuda humanitária. Por lá também Caminhadas dos Pets, dos de Coração Aberto e ano passado, uma que muito emocionou a todos nós, a dos verde-amarelos contra a praga da corrupção que assolava este país. Algo me intriga: por que será que, hoje, diante de uma situação infinitamente pior, corrupção campeando solta, elasticamente maior que no período petista, nada acontece naquela via para questionar os desmandos dos tempos atuais. Estariam os que por lá gostam de bater perna não interessados no fim desta corrupção de hoje? Enfim, de que lado estariam esses todos?

4 – Comércio local aplaudindo algo que nem aconteceu, mas contam como certo, o aumento dos empregos temporários para este final de ano. Todos apostam em aumento de lucros, mais ninguém mesmo se engaja no que deveria ser a grande união para tirar este país do lodaçal onde se embrecou com o golpe e trairagem de Temer & Cia pra cima dos costados de dona Dilma & sua Thurma. Pelo visto, ninguém olha para trás e reconhece termos todos vivenciando situação bem melhor há pouco menos de dois anos atrás e hoje (culpa de quem, hem?) uma desolação de dar gosto. Não seria mais fácil, clamar por uma volta ao passado do que insistir em velado apoio quem desgraçou tudo e todos?

5 – Vivemos hoje no paraíso das Audiências Públicas. Tudo vira motivo para vereadores, sempre pensando no bem estar da população, levantarem o dedo e marcarem uma com sua chancela. Existe até uma concorrência de bastidores para ver quem já possui mais Audiências em seu nome. Além do status, serve para a população notar o quanto o edil se mantém interessado nos temas locais. A maioria, confiram, é de pouca serventia. Do mesmo jeito que começa termina. Poucas tem praticidade. O oba oba está estabelecido e conta com anuência de incautos. Discutir o “sexo dos anjos” é tudo o que não precisamos fazer no momento. Existem até vereadores que, em audiências verdadeiramente com participação popular pedem, diante do receio de serem encostados na parede, solicitam reforço policial. Não deixemos as audiências caírem no descrédito, motivada pelo uso desmedido e descabido.

OBS.: As ilustrações são meramente ilustrativas.

quarta-feira, 18 de outubro de 2017

FRASES (161)


FRASE DO DIA E O ENTENDIMENTO DA DESGRACEIRA NACIONAL*

* Escrito de uma só golfada, logo após o Senado federal livrar a cara de Aécio Neves, um dos piores políticos brasileiros e inocentado, novo santo do pau oco nacional.
Hoje não tem como deixar de falar da perdição onde o Brasil está metido. Encalacrado até o pescoço, ou melhor, até o talo. Sabe aquele cara tentando se manter em pé diante de um fundo rio, na pontinha dos pés e só com o nariz e olhos de fora? Estamos assim. Por um fio podemos afundar e babau, acabou. Nesse um ano e quase meio de golpistas no poder, o retrocesso, tenham a mais absoluta certeza, foi o maior em toda nossa história. Sempre reclamei demais do período militar, mas o produzido pelo golpe jurídico midiático de 2016 já é imensamente maior que tudo, danos quase irreparáveis. Ontem a gota d’água, o que faltava para lacrar o caixão. De um baita amigo, jornalista como poucos, atuando dentro da verdade dos fatos, sincero até a medula no que faz, Aurélio Fernandes Alonso, cidadão santa-cruzense e nas hostes do Jornal da Cidade – Bauru, um curta frase a resumir tudo o que estamos vivenciando: “O Brasil acabou”. Dou-lhe toda razão deste mundo. Com esses todos no poder hoje, sem nenhuma esperança. É o fim.

E o que fazer diante da decretação do fim? Quando no fundo do poço, o que fazer? De uns tempos para cá, mais ou menos desde que começaram os insistentes ataques contra Dilma Rousseff e a insipiente democracia, com a desculpa de que estavam fazendo algo pelo fim da corrupção, muitos tentam se fingir de morto. Odeio os que se fingem de morto. O que seria isso? Mostram-se indiferentes diante de tudo o que acontece. Alguns o fazem por sobrevivência, necessidade, pois ao dizer algo, pagam com o emprego e jogam sua fonte de renda na lata do lixo. Respeito esses. Hoje existe uma verdadeira legião de brasileiros se fazendo de indiferentes e isso contribui sobremaneira para prolongar o estado golpista.


A destruição do país é nítida, clara, límpida, transparente e perceptível até pelas pedras do reino mineral. Não adiante virem alguns a dizer já existir sinais de recuperação. De que adiantam esses sinais, quando os beneficiados serão cada vez menos pessoas? Eu quero é cada vez, mais e mais brasileiros usufruam das benesses de uma verdadeira distribuição de renda. Dói-me ver gente como eu, sem eira nem beira e a defender algo deste insano Governo, tudo, para segundo eles, não dar o braço a torcer para um provável retorno do PT ao governo. Bestiais. Reconhecer erros e acertos se faz necessário, mas o óbvio ululante faria um bem danado para nosso futuro. A catástrofe tem volta, mas precisaria de todos irem pras ruas, exigir em alto e bom som algo novo. Eleições já eram, elas estarão viciadas e transformadas em referendar os bestiais no poder. Como é impossível acreditar em qualquer instituição nativa, descrédito quase total, o bom mesmo é chafurdar no estado conspiratório. Nele estarei inserido, de cabo a rabo, do cabelo ao dedão do pé. Não contem comigo para referendar mais nada neste país acabado.

Já que a perdição toma conta do país, estarei me inserindo no contexto. Cansei de tudo. Eu me sinto tão mal hoje que até a inspiração foi pras cucuias.
ESSES OLHINHOS A NOS ESPREITAR É O DO SACANA QUE ONTEM ESCAPOU DE PUNIÇÃO PELO ISENTO SENADO BRASILEIRO
Como li de meu amigoi Aurélio Fernandes Alonso, não existe mais o que fazer: "O Brasil acabou!". E o que fazer de agora em diante, com os anos que nos restam de vida e tudo em frangalhos, com esses sacanas todos no poder e os que os apóiam? Que fazer? A rebeldia pede licença...

terça-feira, 17 de outubro de 2017

MÚSICA (153)


AZULÃO DO MORRO ENCERRA MESMO SUAS ATIVIDADES

No Carnaval deste ano, podem dizer o que quiserem de Mocidade Unida, a campeã e da Cartola, a vice, mas o frisson mesmo foi a terceira colocada, a AZULÃO DO MORRO, lá do Jaraguá, sempre sob a batuta de Cida Caleda, seu marido e de abnegados azulenses. Quando o Carnaval voltou após o triste interregno de dez anos, a escola conseguiu ser campeã e depois, quando os dois grandes se encorparam, só deu eles, mas o pessoal do Jaraguá sempre se mostrou imponente e bravos lutadores. Cida e os seus já fizeram de tudo um pouco, desde uma escolinha/bateria mirim, com o intuito de tirar jovens da rua, até tocar um time de futebol amador, tudo instalado em sua casa e também num barracão, com passagem interior por uma ingreme escada e dando na rua dos fundos. Ali a batucada sempre comeu solta e os trabalhos de Carnaval foram daqueles de endoidecer gente sã. Enfim, muita história para contar. O amor pelo Carnaval vem de longe e quando arrebatou os Caleda, eles se empolgaram e construíram uma bela história. Dona Cida é funcionária pública estadual e seu marido é pedreiro (ou seria construtor?), mas diante dos festejos de Momo se transformam e a coisa vira de uma forma muito doida, só findando após o desfile no Sambódromo. Ano após ano, a mesma história se repete e os cartões de compras dela e de toda a família ficam sobrecarregados e só conseguem mesmo a quitação após o crédito da Prefeitura ocorrer.

Logo após o desfile deste ano, Cida e o marido já anunciavam e poucos acreditaram: “Esse foi nosso último Carnaval. Já demos nossa contribuição. Cansamos, queremos passar a bola adiante, está na hora da gente descansar”. Muitos pensaram ser brincadeira, pois eles já haviam anunciado isso em anos anteriores. O tempo foi passando e eles confirmando o dito lá atrás. Agora, quando a Cultura Municipal encerra as inscrições para a festa do ano que vem, vem a confirmação, a Azulão está de fora. Liguei para Cida e ela me confirmou: “Eu já havia avisado. Adoro demais o Carnaval, mas chegou a hora de parar. Queria ver alguém continuando com o Azulão Do Morro, mas não aqui em casa, num outro lugar. Não quero mais misturar as coisas. Não vai ser fácil ver o Carnaval de longe, mas a decisão já estava tomada desde o final do desfile deste ano”.

A preocupação já percorre a cidade, tanto que outro dia, um jornalista me questiona pelo inbox do facebook: “Bom dia Henrique, tudo bem? Você precisa fazer uma matéria com a CIDINHA DO AZULÃO DO MORRO, ela acabou com a escola de samba e agora tá vendendo tudo, os instrumentos, anos e anos de luta terminar desse jeito? Ela deve ter muitas fotos dos carnavais e do time de futebol do JARAGUÁ. Ela era presidente fundadora vai largar tudo”, escreveu o radialista Antônio Luiz Ferreira Ramos, o Tonhão. Sim, é isso mesmo. Tudo consumado, nem a inscrição foi efetuada. E ela me confirma, que muitos vieram atrás de instrumentos e vende alguns para quitar dívidas ainda do Carnaval deste ano, assim como adereços e as modelagens de fantasias.

Não vai ser fácil dar aquela passada pela casa da Cida, ver a loja na frente e tudo esvaziado lá nos fundos. E o que dizer disso tudo? Eu, nada. Respeito o desejo dela parar e vejo que, já havia divulgado isso publicamente, mas as propostas de transição não vieram a contento e tudo se encerra com a Escola de Samba fechando as portas. Vai ficar esse vácuo na festa de 2018, até porque lançaram também a carnavalesca Cristiane Ludgerio, a grande revelação deste ano. Sai por dois anos seguidos com eles, num ano numa ala junto de Roque Ferreira e neste ano na ala mais animada da festa, a da Véias do Jogo da Velha (a saiona de chita e o lenço azul de véia estavam demais).
Quer dizer que, de agora em diante não mais teremos a Cida como porta bandeira, desfilando garbosamente pela avenida do samba naquele traje azul marinho? O Jaraguá resistiu bravamente mantendo o samba nas ruas do bairro quando o Carnaval esteve interrompido e hoje, além de reverenciar pela disposição de todos os que já desfilaram por lá e também atuaram nos bastidores, confesso estar triste por não mais ver a festa de uma escola declaradamente periférica na avenida. Pelos comentários, outra escola está para não sair. Enquanto as duas grandes se fortalecem, algo precisa ser pensado para dar vida para todas as demais. Enfim, eu adoro é sair pelas pequenas, principalmente as das quebradas do mundaréu.

segunda-feira, 16 de outubro de 2017

PALANQUE - USE SEU MEGAFONE (104)


TRÊS TEXTOS FACEBOOKIANOS COM ÁCIDOS COMENTÁRIOS – TUDO ISSO BAURU: SERIA MESMO POSSÍVEL?

A - IMPUNIDADE: DESTE O CASO MARA LÚCIA ATÉ OS DIAS ATUAIS
“Uma das impunidades mais vergonhosa de Bauru foi o assassinato da menina Mara Lucia Vieria, 9 anos, cujo corpo foi encontrado no dia 15 de novembro de 1970 e que demonstrou que a criança foi morta após ser estuprada no banheiro de uma casa desabitada na rua professor José Ranieri, 8-61. O caso teve repercussão nacional, expulsão de um Policial Militar que tentou incriminar um dos principais suspeitos e vinda do famoso repórter policial da época, o Saulo Gomes, para Bauru com a missão de elucidar o caso. Embora ninguém tenho sido preso, a população sabia que o autor ou autores do brutal assassinato era de família de gente importante na cidade e o caso foi vergonhosamente abafado pela Polícia e Autoridades bauruenses.
Estamos recordando este rumoroso caso para lembrarmos que passados 47 anos da impunidade da brutal morte da pequena Mara Lúcia, pouco mudou em Bauru.
Só que atualmente essa Impunidade se materializa em 'SIGILOS', silêncio e cumplicidade. Não precisamos ir longe: aqueles que desviaram milhões do Hospital de Base e por causa disso mataram centenas de pacientes do SUS, tiveram o privilégio de serem condenados em liberdade pela Justiça Federal de Bauru. E agora o Processo caminha para a Prescrição e a Impunidade ao estar engavetado e mofando no Tribunal Regional Federal. E temos também em andamento o 'Escândalo da Seplan' que embora envolva o erário público está sob absoluto sigilo. Talvez pelo fato de terem sido citados empresários, vereadores, cartorários, secretários municipais e funcionários. E poderia citar vários outros casos( um deles foi a inexistente "reforma" da Praça Rui Barbosa ) de que termina em silêncio, cumplicidade e impunidade.

Mas somos incansáveis e continuaremos cobrando e publicando. A verdade e a Justiça um dia terá que prevalecer !”, Pedro Valentim (vejam o link: https://www.facebook.com/pedrovalentim.valentim/posts/1940637822616536?pnref=story).

B - ORGANIZAÇÕES SOCAIS NO SERVIÇO PÚBLICO
“São centenas de exemplos de corrupção, roubo, desvio de remédios, de recursos públicos, caixa 2. No Estado de São Paulo esta praga esta alastrada. É isso que o Prefeito Gazzetta (PSD), Deputado Pedro Tobias (PSDB) e o Líder do prefeito vereador Marcos de Souza (PP) querem implantar em Bauru. Vejam matéria no JC edição de hoje (15/10/2017). https://www.jcnet.com.br/…/gazzetta-garante-regras-rigidas-… Em tempo: Há quantas andam os processos da Operação Odontoma da PF que investigou fraudes na Associação Hospitalar de Bauru? http://g1.globo.com/…/justica-federal-condena-5-pessoas-pel… Quais pessoas e quais grupos políticos tinham influencia na AHB? Sempre é importante ficar atento a história. O preço pago para pela população em razão do desmonte da AHB via corrupção e roubos, foi a precarização no atendimento hospitalar o que concorreu para a morte de muitas pessoas. É um crime esta proposta do prefeito Gazzetta e de todos os seus aliados e partidos que lhe dão sustentação o governo e na Câmara. "A história se repete, a primeira vez como tragédia e a segunda como farsa". Karl Marx.”, Roque Ferreira (vejam o link: https://www.facebook.com/roque.ferreira.988/posts/1687729207912504?pnref=story).

C – AMEAÇAS E INTIMIDAÇÕES – SERÁ???
“Era só o que faltava no desgoverno Gazzetta...... Servidores estão sendo ameaçados se utilizar as redes sociais para comentar ou denunciar algo sobre o governo municipal!!!!!!
Estão utilizando a Escola de Governo, criada para capacitar servidores, com tal curso sobre uso das redes sociais, intimidado a encaminhar para corregedoria os que utilizarem para expor suas opiniões.”, João Mello (vejam o link: https://www.facebook.com/permalink.php?story_fbid=1762014894102197&id=100008811103374).

COMENTÁRIO FINAL DESTE HPA – Não existe vergonha maior para Bauru do que essa omissão da Justiça paulista em punir exemplarmente quem lesou a Saúde Municipal e todos os necessitados pacientes, no dito escândalo da AHB. Dentre esses, muitos figurões importantes desta aldeia e um capo, o chefe de tudo, ainda com identificação um tanto indefinida. Quem seria e por que não se punem esses? Teriam poderes ilimitados, tipo as do Aécio Neves? No caso dos funcionários da Seplan, algo mais que suspeito. A cidade nem sabe direito o que se sucedeu, muito menos os nomes dos envolvidos. Por que esse sigilo de Justiça? Que interesses estariam por detrás dessa demora e não divulgação de nomes? Algo de muito insano nessa proposta da Prefeitura Municipal de Bauru, encabeçada pelo atual prefeito, Clodoaldo Gazzetta de contratar funcionários de forma precarizada, ao referendar o baú de maldades preconizado pelos golpistas no poder. Cobre um santo, descobrindo outro. Gazzetta não está à frente de um governo popular, mas ao se antecipar e implementar já, algo aprovado por esse insano Congresso Nacional (um dos piores de nossa história), joga na lata do lixo toda possibilidade de respeito ao servidor municipal. Se as novas leis nem bem estão implantadas e ele já age assim, acatando-as cegamente, imaginemos o que vem pela frente. E por último, algo que ainda não entendi e precisaria de mais detalhes para construir uma reação à altura. Que negócio é esse de retaliação, pressão, política do medo para comentários de funcionários pelas redes sociais sobre variadas questões? Macartismo Gazzetiano. Não quero crer seja verdade. Alguém poderia e deveria explicar isso tudo pelo bem da civilidade nesta aldeia bauruense, ainda com algum crédito na algibeira. Ou já caímos no descrédito geral?

domingo, 15 de outubro de 2017

OS QUE FAZEM FALTA e OS QUE SOBRARAM (104)


PROFESSOR SUBSTITUTO NA UNESP – EIS A REALIDADE DOS FATOS, VIVA O DIA DOS PROFESSORES, 15/10*
*O diálogo aqui registrado é ficcional, porém real. Foi feito de uma forma a não possibilitar a identificação do personagem, mas ele existe, é de carne e osso, assim como a crueldade do sistema é a em voga nos tempos atuais, insana e impiedosa com tudo, todas e todos. Fazendo uma reflexão sobre tudo isto, olhamos para as tais "comemorações" do Dia do Professor com as esperanças de dias melhores na sarjeta:

- Então você passou no concurso e veio morar aqui no interior? Mas me diga, como foi essa experiência, ser professor da UNESP?

- Sim, vim morar no interior, me interessei pelo concurso de Professor Substituto, prestei e passei e cá estou. Queria muito prestar um concurso para professor fixo, mas eles hoje não mais existem, foram praticamente abolidos pelo atual governador, o Geraldo Alckmin.

- Então você não tem mais garantia nenhuma. Dá aula por um período e depois é descartado assim do nada. Acabou o contrato, tchau?

- Sim, isso mesmo. Não existe mais em nenhum campus da Unesp a figura do professor concursado. Todas as vagas estão sendo preenchidas por substitutos. A média salarial é mais da metade do concursado e não existe vínculo empregatício. Fui contratado por R$ 2.500 reais mês, tenho as mesmas obrigações de um concursado, porém ganho muito menos. Tive que aceitar, pois ganhava pouco mais em São Paulo, fazia outros bicos, mas meus gastos eram grandes, aqui bem menos.

- E como foi essa mudança para o interior?
- Foi. Vim, a grana acabou rapidamente e se não tivesse sido acolhido pelos alunos, não teria condições de sobreviver. Fui abrigado numa república, quando esses vendo minha situação me recolheram e ali fiquei até ver se conseguia me estabilizar. Fui sem nenhum problema, mas o pessoal ligado à Secretaria Estadual de Educação não estão nem aí para isso. Fingem que não é com eles. Passado algum tempo, consegui fazer diferente. Hoje, continuo morando numa república de estudantes, com quatro pessoas, duas mulheres e dois homens, um deles eu. Já consigo dividir as despesas e pagar pela estadia e não me sobra nada além disso, quer dizer, sobrevivo.

- E mesmo assim gasta menos que em São Paulo?

- Tenho que te confessar que, se ainda em São Paulo, não conseguiria fazer a ginástica feita aqui. Parte considerável iria para locomoção, além do tempo dispendido. Aqui, a grande vantagem é que tudo acaba sendo muito perto. Mesmo nas distâncias médias, acabo indo a pé, o bar é perto, a faculdade é perto e o centro comercial idem. Como gasto bem menos que lá, posso dizer, apesar da precariedade que, estou em melhor situação que meus colegas paulistanos.

- E tudo isso graças ao apoio dos estudantes?

- Sim, eles foram primordiais para que conseguisse estar no lugar onde me encontro. Não sei mais quanto tempo conseguirei ficar por aqui. Criei um vínculo interessante com ao alunos, mas isso pode ser rompido ao final do contrato e eu não passar na próxima chamada de temporário. Tenho feito um trabalho intenso com grupos de estudantes, algo que teria vida longa, mas não sei até onde irá. Não consigo fazer meia boca, dou o melhor de mim, mas quem nos contrata não tem a menor sensibilidade para com essa situação.

- Tudo se precarizou, não é?

- Chegamos num situação mais do que de pré-falência, pois enxergo a Educação paulista e brasileira numa rota sem volta, cada vez se afundando mais. Eu, com que ganho não consigo recolher para a Previdência, pois mal dá para minhas despesas. Já vivo com um déficit mensal, que só se acumula. No campus onde atuo a verba para gastos mensais necessários já terminou meses atrás e falta até papel higiênico nos banheiros. Os professores ainda concursados estão em vias de extinção, pois a cada vaga perdida, por aposentadoria ou qualquer outro motivo é preenchida pelo substituto e esse não mais possuí nenhum vínculo empregatício de fato com a universidade. Por mais que a gente se esforce, por mais que insista em me preparar e trazer para a classe de aula algo bem fundamentado, impossível a situação vivida por todos não influenciar na qualidade do ensino.

- E por que continua?

- Você ainda não sacou que é somente isso que nos resta nos tempos atuais. Esses que aí estão no poder possuem essa mentalidade e a aplicam em tudo. Estado Mínimo é isso, minguar as condições e favorecer a chegada do pior. Que outras opções tenho? É pegar ou largar e daí ser mais uma estatística no índice dos desempregados. Se não faço um concurso como esse, para cargo temporário, salário reduzido, garantias trabalhistas quase suprimidas, não teria nem mais condições de dar aulas. Diante de tudo o que vejo acontecendo por aí, isso de conseguir uma vaga numa república estudantil, gente que entendeu meu problema e me acolheu, creio me encontrar em situação privilegiada diante de tantas histórias que ouço de colegas padecendo muito mais. Com gente como Alckmin e Temer no poder, a tendência é piorar e piorar, talvez daqui alguns anos nem isso que me é oferecido o será mais.