quinta-feira, 30 de setembro de 2010

DROPS - HISTÓRIAS REALMENTE ACONTECIDAS (40)

MEU ENGAJAMENTO NO CORPO-A-CORPO DA CAMPANHA E OBSERVAÇÕES DE UM ATENTO VOYEUR
A campanha política está na reta final e aderi a ela ao meu modo. Munido de santinhos vou para os bairros e permaneço boa parte do dia, de casa em casa, rua por rua, tudo para que Dilma seja confirmada no 1º Turno e Mercadante possa ir para o 2º Turno, além de eleger já Vicentinho, Roque Ferreira e Rafael Agostini. De segunda até ontem, quarta, permaneci nas ruas pelo menos umas cinco horas diárias. Abri mão de minhas atividades e faço a minha parte. Cansado estou, mas agora só paro no sábado. Constato algumas coisas, como uma indecisão quase total na periferia pelos nomes de deputados, além de um desconhecimento e distanciamento destes com o processo político. Publico aqui uma pequena amostra do que encontrei de dificuldade, ou seja, as caixinhas de correio por aí são horrorosas para enfiar os tais santinhos. Uma mais complicada que a outra. Numas não passa nem alfinete, quando menos um santinho político ou um envelope de carta. Confira o ensaio e leia minhas últimas observações:

1. Skaf, candidato ao Governo paulista pelo PSB – Partido Socialista Brasileiro, no debate da TV Globo, 28/09, tem fala macia, mas não acaricia quando o cutucam. Sobre a questão da terra foi contundente e disse com todas as letras, que “no meu governo não permitirei nenhum tipo de invasão. Sou a favor do agronegócio, os incentivarei sempre”. Uma contradição, num partido dito socialista, ainda mais porque meses atrás foi recebido na cidade pelo presidente regional da agremiação, com uma vestimenta a lembrar Che Guevara. Seria Skaf um socialista moderno ou toda a encenação feita aqui de forma caricata, não passou de uma espécie de pantomima circense? Che revira-se no túmulo a cada fala de Skaf e pelo uso indevido de sua vestimenta idem. Já não se fazem mais socialistas como antigamente. Como votar num socialista com esse discurso?
2. Em Bauru o Partido Verde tem dois candidatos para deputados, Gazetta para Estadual e Dr Raul para Federal. Abro os jornais na terça, 29/09 e numa propaganda alardeiam que votando neles o coeficiente é bem menor que nos demais candidatos da cidade. Simples, eles “são os únicos que precisam de poucos, eles podem se eleger com o voto de apenas 3 a cada 10 bauruenses” (por volta de 45 mil votos cada). Quem vota usando esse método deve ser mesmo de miolo mole. Continuam achando que o mais importante é ter algum de Bauru por lá, mesmo que por métodos nada ortodoxos. Todos os demais querem processá-los pela falta de ética.
3. Quarta pela manhã o país é surpreendido por uma Greve dos Bancários no Brasil. Aqui em Bauru, o Sindicato dos Bancários, comandado pelo PSTU passa com caminhão de som pelas ruas da cidade com seu megafone a anunciar: “Por conta da irredutibilidade dos patrões, os banqueiros e o Governo federal do presidente Lula vamos parar”. Pessoalmente achei o momento dos mais inoportunos e a grita contra Lula nesse momento reforça tudo o que o adversário quer. Ou seja, o PSTU, mais uma vez faz questão de mostrar toda sua ineficácia e despreparo para greves e reivindicações. Lutam por aumento de salário, só isso e não os vejo pregando nada socialista, ou seja, mais capitalista impossível. Por outro lado, um exemplo vindo de fora. A Espanha está praticamente paralisada por uma Greve Geral contra as reformas das leis trabalhistas. Isso sim é que é greve. A daqui, um arremedo, pois a grande maioria dos bancários vive melhor do que a média do brasileiro. E o sindicato só quer saber de salário e ainda se dizem socialistas.
4. “Cuidado, povo brasileiro. Há uma máquina impiedosa montada contra ti. De hoje até a eleição serão dias de vergonha para uma imprensa que mereça o nome de livre. Vão bombardear, pelos jornais e pela Rede Globo, pesquisa após pesquisa para construir a falsa impressão de que existe uma mudança no quadro eleitoral. Tudo o que fizeram nas últimas semanas, embora tenha detido a ascensão vertiginosa de Dilma Rousseff, não teve o poder de reverter o movimento social que se construiu em torno de sua candidatura. Foi e é repugnante. A esta altura, milhões de brasileiros mal podem conter o nojo e a repulsa pelo papel a que se presta está verdadeira Proconsult estatística que se tornou o Datafolha. É a técnica nazista de repetir a mentira até que ela seja tida como verdade.Vamos em frente, meu irmão e minha irmã. A vitória do povo brasileiro merece de nós mil vezes tudo aquilo que podemos lhe dedicar”, Brizola Neto, no seu www.tijolaco.com , ontem. Todo cuidado é mais do que pouco, mas o povo vencerá mais essa contra O PIG, o grande vilão dessa contenda eleitoral. Deixa eu voltar para as ruas, com garoa e tudo, pois a causa é mais do que nobre, vencer o preconceito, discriminação, deslealdade e falta de ética.

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

UMA ALFINETADA (74)

O QUE VOU REMOENDO PARA CONSTRUIR MEU VOTO - Texto publicado no semanário O Alfinete, de Pirajuí SP, edição de sábado passado, 25/09/2010
As eleições estão aí, batendo à nossa porta e com elas uma discussão acalorada a ocorrer todos os anos. Como partidas de futebol e contendas entre religiões, o partidarismo toma conta do país. Na defesa do que acha correto, ou na do seu interesse, sem pensar no coletivo como um todo, são proferidas as mais diferentes, pertinentes e desconexas participações do cidadão comum. A massificação do conteúdo político feito via imprensa é altamente tendencioso, pois os próprios órgãos de imprensa, principalmente os maiores, mesmo apregoando isenção, possuem um lado e torcem para que o seu vença.

Uma coisa que sempre assusta muito nas campanhas a deputado é a ostentação que algumas apresentam. Como um candidato pode gastar zilhões mais do que ganhará nos quatro anos que estará atuando? Quem paga sua milionária campanha? Que interesses são esses? Aqui em Bauru temos nosso único deputado eleito, Pedro Tobias, fazendo e acontecendo na região e algo inexplicável aos olhos de um eleitorado incrédulo. Como pode? Outra é a candidatura da atual vice-prefeita de Bauru, Estela Almagro, que tem uma campanha de muita ostentação. Algo a impressionar, mais pelo lado negativo do que positivo. Sem responder aos questionamentos de como fazem para possuir uma campanha desse quilate, prefiro optar por sacramentar meu voto em candidatos mais discretos, mas que possuem proposta de transformação de nossa sociedade. Para quem ainda não leu, esse QUEM É PEDRO TOBIAS, extraído do blog dos Investigadores de Polícia é bem elucidativo: http://www.investigadordepolicia.blog.br/archives/492

Quase todos os muitos candidatos de Bauru, tanto a deputado estadual, como a federal, caem na ladainha de que “Bauruense vota em bauruense”. Pura besteira e pior que isso, hipocrisia, pois todos, sem distinção, buscam votos em outras cidades. E assim sendo, por que outros não poderiam vir buscar votos aqui? Voto em quem me representa, em quem acredito e tenho a certeza de que possa fazer algo de concreto e para todos, não só para mim.

Repudio também o candidato que faz campanha isolado, como se não existisse os majoritários. Vejam o caso do candidato ao governo Skaf, pelo PSB, um partido dito de esquerda. Esse não fala em nenhum momento quem é seu candidato à Presidência. Quase todos dessa legenda possuem esse procedimento. Se renegam os que estão com ele, renego ele nas urnas, pois farão atuação excludente. Recebi hoje uma cédula de um desses, só com o seu nome para deputado e mais nada.

Como posso querer votar em quem desprestigia a classe onde atuo, o magistério? Como posso votar em quem impõe os mais caros pedágios do mundo aos seus habitantes? Como posso votar em quem privatizou tudo, desde bancos, ferrovias, estatais lucrativas e quer continuar fazendo isso? Fujo de tucano, pois acompanho o que fizeram de nosso estado. Quero algo novo e um estado e país sempre para frente, olhando melhor para todos, com sensibilidade. São pequenas coisas, que vou juntando para sacramentar meu voto.
HPA, 50 anos, muitas eleições e uma certeza: Tô com quem olha melhor para os menos favorecidos e luta por uma sociedade sem desigualdades e preconceitos

Eleições 2010 (09) - Seria muito bom todos pudessem ler esse texto do escritor Eric Nepomuceno (o tradutor de Gabriel Gárcia Marques), " Imprensa - Verdadeira oposição no Brasil", publicado no Página 12 argentino, no último domingo. É histórico e mostra a verdade nua e crua: http://www.pagina12.com.ar/diario/elmundo/4-153843-2010-09-26.html .

terça-feira, 28 de setembro de 2010

OS QUE SOBRARAM E OS QUE FAZEM FALTA (12)

MÃES DA PRAÇA DE MAIO, UM NOBEL LATINO, PELA LUTA DELAS QUE É TAMBÉM A MINHA
Sou um tanto cético quando me deparo com a premiação dos tais Prêmios Nobel. O estilo e a forma de escolha não são lá muito claras e em muitas vezes favorecem o algoz. Isso já se repetiu varias vezes e continuará o sendo. Mesmo assim, quero comentar algo que me seduz na premiação deste ano. A premiação que sempre me chama mais a atenção é a do Nobel da Paz. A deste ano, em especial. Sabem por que? É que as Mães da Praça de Maio, as Loucas mães que inicialmente circulavam pela famosa praça, onde está a sede do governo argentino, reclamando do sumiço dos seus entes queridos pela ditadura militar lá deles, pois bem, elas concorrem ao prêmio. A luta delas e tudo o que está no entorno da luta me é muito grato. Acompanho com todo o carinho (também é nossa luta), pois temos tantos desaparecidos como lá. Muitos insepultos. Em 2007, num grande comício de Chávez no estádio Ferrocarril, subúrbio de Buenos Aires, presenciei a fala da mais famosa delas, Hebe de Bonafini. É dessas pessoas e instituições que gosto de acarinhar a todo instante.

Pois bem, a luta e dedicação empreendida pela Mães de Maio estão para conquistar um prêmio de visibilidade para todos nós, latinos. Leio diariamente o diário argentino “Página 12” (http://www.pagina12.com.ar/diario/elpais/1-153844-2010-09-26.html ) pela internet e no último domingo, parei tudo para reverenciar o empenho latino para que elas ganhem o prêmio, afinal, como digo aqui, elas fazem parte de uns poucos “que sobraram”, na luta social que continuo empenhado. Lá declarações do juiz espanhol Baltasar Gárzon, do cantante João Manuel Serrat e o apoio que todo o selecionado argentino deu durante a última Copa para elas. Hoje presidido por Estela de Carlotto, com instituições educacionais com seu nome, promovem, mais do que tudo, uma luta social, por dias melhores para toda América Latina. Por estarem empenhadas e engajadas na luta por uma América livre do domínio cruel dos oligarcas e os que fazem do dinheiro fácil o seu modo de vida, não me furto a me postar ao lado delas. Torço muito, para que em 08/10, elas vençam mais essa luta, dando visibilidade à crueldade de insanidade, ainda vivida dentro dessa nossa América, uma que o Brasil parece não fazer questão de fazer parte. Uma incansável tarefa, a delas e a dos que sobraram.

Quando nós, aqui no Brasil, estamos adentrando uma semana de muita luta contra a tirania de uma minoria a nos espezinhar e querer nos impor as condições de nossas vidas, saliento que a luta pela candidatura de Dilma presidente possui a mesma força, guardadas as devidas proporções, da luta continental que todos os socialistas empreendem mundo afora. Eu luto por tudo o que possa me garantir algo dentro da forma como penso e promovo minhas ações.

ELEIÇÕES 2010 (08) - O site Conversa Afiada reproduz e-mail de Stanley Burburinho, o reparador de iniquidades, com algo muito útil. Para facilitar a divulgação nesta última semana de campanha, compilo os emails falsos que circulam nesta campanha sobre Dilma Rousseff e seus respectivos desmentidos. Cada link remete ao leitor ao texto em questão. Espalhem, é importante:
A morte de Mário Kosel Filho: http://migre.me/1pfAb
A Ficha Falsa de Dilma Rousseff na ditadura: http://migre.me/1pfCc
O porteiro que desistiu de trabalhar para receber o Bolsa-Família: http://migre.me/1pfEJ
Marília Gabriela desmente email falso: http://migre.me/1pfSW
Dilma não pode entrar nos Estados Unidos: http://migre.me/1pfTX
Foto de Dilma ao lado de um fuzíl é uma montagem barata: http://migre.me/1pfWn
Lula/Dilma sucatearam a classe média (B) em 8 anos: http://migre.me/1pfYg
Email de Dora Kramer sobre Arnaldo Jabor é montagem: http://migre.me/1pfZH
Matéria sobre Dilma em jornais canadenses é falsa: http://migre.me/1pg1t
Declarações de Dilma sobre Jesus Cristo – mais um email falso: http://migre.me/1pg2F
Fraude nas urnas com chip chinês – falsidade que beira o ridículo: http://migre.me/1pg58
Vídeo de Hugo Chaves pedindo votos a Dilma é falso: http://migre.me/1pg6c
Matéria sobre amante lésbica de Dilma é invenção: http://migre.me/1pg7p

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

UM LUGAR POR AÍ (04)

ASSENTAMENTO TERRA NOSSA, EM AYMORÉS NUM DIA DE FESTA
Esse assentamento, hoje legalizado, com todos seus moradores com a posse definitiva da terra, me traz boas e inesquecíveis recordações. Freqüento aquelas bandas já faz um bom tempo e em todas, um nome é sempre citado com o maior carinho, o do deputado federal, Vicentinho PT SP. Esse deputado nunca se afastou de prestar sua solidariedade ao movimento rural e ajudar no que for possível. Já estive lá com variados amigos, dentre eles, o Duílio Duka, o Marcos Paulo, o Isaías Daiben, o Vinagre e tantos outros. O pessoal de lá, lutadores da boa causa, como o Celso Costa, Zé Maria ("já viu o trabalho com bambu do Viverde?", me diz), Bueno, seu Toninho da Ave Maria ("voltei a fazer queijos de cabra, sabia?", me diz), a Maria do CPT, o Sebastian, todos eles dignos e cientes de que o que fazem deve ocorrer sem erros, pois na sociedade em que vivemos, procuram qualquer deslize do movimento rural para criticá-los e apontar-lhes todas as culpas desse mundo.

O fato é que me sinto muito bem junto deles e sempre que posso vou para lá, muitas vezes para uma simples recarregada de energia, volto melhor, mais leve e fortalecido para os embates futuros. Mais gostoso é ser lembrado e convidado para os eventos variados a ocorrer por lá. Quando ligam, largo tudo e dou um jeito de lá estar. É o que fiz, junto do Duka e da sua esposa, Rosana, no último sábado à noite, 25/09, quando lá ocorreu uma festa de cunho eleitoral. Numa cotização deles, resolveram fazer um churrasco para proclamar em quem votariam nas próximas eleições, a de 03/10. Celso comandou o microfone e Zé Maria filmou tudo, junto ao largo onde futuramente será levantada uma capela católica. O falatório deles é bonito e envolvente, desses que a gente vai ouvindo e sempre querendo mais. Falam uma linguagem simples, sem enrolação e muito clara. Defendem os que estão do lado do trabalhador rural e assim, ouço todos fecharem questão em torno de Dilma presidente, Marta senadora, Vicentinho a federal e vários a estadual. Uma festa onde os candidatos não estavam presentes, tudo não passou de uma reunião de pessoas conscientes e querendo que o país continue trilhando pelo acertado caminho do reconhecimento da luta empreendida por eles e por uma reforma agrária mais abrangente.
Participei do racha, a cotização para que a festa se prolongasse por mais tempo. O céu estava limpo (“e como a lua é mais bonita no campo”, me lembrou Duka) e pairava no ar uma alegria incontida, algo inebriante de pessoas a festejar sua situação e saudando a provável continuidade de tempos e ventos favoráveis. Vê-los em festa, todos revezando-se no microfone, falantes e contentes, me dá a certeza de que precisamos de tão pouco para encontrar a felicidade. Um pouco, que nem sempre nos é garantido, mas que temos que ir buscá-lo da forma que for. Todos ali sabem disso e fazem sua parte. Não me furto a estar sempre ao lado deles, pois com certeza, é o meu lado, o do mundo que sonho e busco, onde tudo possa ser partilhado com mais justiça. Sinto-me mais eu ali ao lado deles. Isso tudo foi no sábado à noite, quando os céus ainda deram um trégua para os aqui de baixo, pois no domingo, caiu dos céus aquilo que todo homem do campo tanto queria, chuva. Será que a festa que eles estavam fazendo não era também para que água viesse? Pois ela veio e em abundância. Todos estaremos duplamente felizes, com esse maná dos ceús, aliado a eleição de todos os que foram reverenciados por ali. Se pudesse votaria em todos, mas como já declinei aqui, vou de DILMA, MERCADANTE, MARTA, ROQUE FERREIRA (federal) e RAFAEL AGOSTINI (estadual). E tenho dito.

ELEIÇÕES (07) Assisti ontem o debate entre quatro presidenciáveis na TV Record e de tudo o que vi, algo a salientar e a ser repassado para frente. Fiz questão de ao fim do mesmo repassar para os Blogs Sujos, do qual faço parte, esse texto, para que tenha a repercussão devida:

caros BLOGUEIROS:
Termino nesse momento de assistir ao debate entre os presidenciáveis na TV Record e achei de tudo o que vi, a frase mais significativa uma proferida pelo Serra, um frontal ataque feito à classe dos professores. Questionado por Plínio sobre a pífia educação nos 14 anos que o PSDB governa o estado de SP, ele além de não responder a contento, desferiu isso: "Plínio você sabe, eu nunca fui um mal professor. Mas sózinho não resolvo nada". Ele se diz um bom professor, o que é mentira e mais que isso, acusa frontalmente que o professor não o é. Mostrou todo o seu elitismo excludente. Vamos ou não responder a isso? Gostaria que ti resgatasse essa parte do vídeo do
debate onde ele diz isso e expusesse a todos o seu pensamento. Os professores precisam tomar conhecimento do que ele pense deles.
OBS.: Essas duas últimas fotos a ilustrar o tema Eleições foram tiradas no Calçadão no último sábado, 25/09. Numa, um militante, como nos velhos tempos, conclama o povo através de um megafone e noutra, um membro da Orquestra do Senai, que desfilou por lá naquela manhã.

domingo, 26 de setembro de 2010

RETRATOS DE BAURU (88)

ERALDO, UM CANTANTE A EMBALAR AS NOITES BAURUENSES
Eraldo Bernardo Marques é um músico completo e está na estrada faz um tempinho. Quem o conhece e acompanha sua trajetória, todos, indistintamente já ficaram de cabelos brancos, mas o gajo não envelhece (nem embarriga), ou melhor, vai ficando melhor a cada dia e com a mesma cara de antanho. Gosta de um rock (sua banda, a Stage, circula muito por aí), mas ataca maravilhosamente bem uma MPB e algo que incorporou ao seu refinado repertório, música latina, principalmente tangos e milongas. Teve a quem puxar, pois o pai, milongueiro da vila Falcão, ensinou a filho a trilhar a caminho da música. Fui vê-lo pela primeira vez no resistente Armazém Bar (bota anos nisso) empunhando uma guitarra e depois a mais antiga recordação que possuo dele é de uma campanha eleitoral, onde como vice de Tuga Angerami, acabamos por perder aquela eleição, fruto de algo repugnante que o PSDB continua a fazer vida afora, o uso de imagens indevidas em propaganda eleitoral (para eles, tudo é possível, infelizmente). Da política, ouço, não querer mais saber, mas afinou o canto e investiu mais em sua carreira. Virou um cult no cenário musical de Bauru e região, com público fiel a seguí-lo por onde se apresente, hoje, na maioria das vezes, empunhando um violão e afinadíssimo no microfone (Jeribá, Alecrim, Templo, Amadeus, Armazém, etc). Não consegue ainda viver exclusivamente da música, mantendo uma empresa de mídia digital, mas para presenciar o sorriso estampado em seu rosto é cantando que descarrega seus males e encanta a todos.
Em 23/04/2010 postei aqui um vídeo dele cantando "Por una cabeza", tango latino de Gardel (ao lado de Marco Zambon) e hoje uma milonga, ao estilo portenho, acompanhado pelo violão de outro grande da noite bauruense, Issac Ferraz.


video

OBS.: Essa semana, com uma eleição, onde o tucanato estão com o bico mais sujo que pau de galinheiro, havia prometido me dedicar a escrevinhar só em cima desse tema até o dia do pleito, mas Eraldo me faz dar uma escapada, uma trégua, pois nada como uma boa música e falar dos amigos para espairecer um bocadinho. É o que faço. Amanhã retorno à pauleira. E hoje é domingo, chove lá fora, nhoque da mama na mesa e no fundo a voz do cantente Eraldo a embalar uma reunião familiar pelos lados do mafuá.

sábado, 25 de setembro de 2010

DROPS - HISTÓRIAS RELAMENTE ACONTECIDAS (39)

NO SÁBADO, PREFIRO FALAR DE PARALELEPÍPEDOS, DANÇA, DR RAUL E UM AVIÃO.
Ontem, sexta, 24/09, percebo cedo uma movimentação da equipe de asfalto da Prefeitura nas imediações da Feira do Rolo. Aciono a imprensa via e-mail. Só o JC repercute a questão do impedimento de se colocar asfalto sob o piso de paralelepípedo. Durante todo o dia, equipe da Polícia Militar e do Exército Brasileiro estiveram no local, efetuando uma limpeza e pintura de paredes. O visual melhora e pelo menos, por enquanto, parece ter sido demovida a idéia de asfaltar o largo. Na matéria de hoje no JC, um pouco mais de luz sobre a questão. Que o assunto continue sendo mais bem discutido, assim como a continuidade da Feira do Rolo. Ouvi até algo sobre mudar o nome da feira. Inconcebível, pois quem criou essa denominação foi a própria população. Não me venham com essa.

Comento aqui sobre algo que presenciei junto da Ana Bia na noite de quinta, SESC, 20h, entrada gratuita. Um espetáculo de dança, o “Meu Prazer”, da Cia de Danças Marcia Milhazes, lá do Rio de Janeiro. Ela mesclou vozes de cantores brasileiros, com algo muito forte dentro do imaginário poético, “onde quatro pessoas carregadas de suas estórias e experiências solitárias criam uma trama do sentido – a solidão como um desejo do desconhecido”. Melhor que tudo foi o bate papo ao final com a própria Marcia, abrindo a mente de todos para um melhor entendimento do que foi visto. Ela trabalha literalmente em família, pois a irmã, Beatriz, artista plástica, assina o cenário e a mãe, Glauce, a retaguarda do espetáculo. Um trio de responsa. Ana Bia conhece bem todas, a mãe foi sua professora de História da Arte no Rio e as duas filhas, um trabalho que vem sendo acompanhado faz certo tempo. Encantador a proposta de todas, numa abertura para uma fuga diante de um mundo onde tudo parece ter uma só saída. Ela nos mostra outros caminhos e isso é sempre maravilhoso.

Ontem, sexta, 24/09, 20h, Guilhermão na UNESP, debate dos ditos Candidatos de Bauru, dessa vez os à Deputado Federal. Não fui, mas ouvi pelo rádio. Dez presentes e algo de muito pouco resultado prático. Algo triste e que serve para mostrar o pensamento dos candidatos. Nas considerações finais de cada candidato, dr Paulo, do PV, disse que aqueles que possuem recebimento de valores provenientes de Bolsa Família, essas coisas não deveriam votar, pois são de votos de cabresto. Mais elitista impossível. Precisam avisar o dr. Raul que não é só rico e letrado que vota. Pobre e com renda mínima também o fazem e isso foi uma conquista de mais de setenta anos. Muitos pensam assim, igualzinho a ele e deles me distancio, cada vez mais.

E para encerrar e fechar a tampa do caixão, algo constatado ontem: A suntuosa equipe do Jornal Nacional itinerante, uma que viaja Brasil afora às vésperas de eleições presidenciais passou por Lençóis Paulista. Do que foi visto, nada a acrescentar, mas do avião, sim. Viram onde ele pousou, no Aeroclube e não no “Aeroporto Internacional de Passageiros e de Cargas Bauru/Arealva”. Ouço encantando histórias sobre a versatilidade do novo aeroporto (sic), mas na hora que todos precisam de algo com agilidade, destreza, praticidade e eficiência, o bom, surrado e velho Aeroclube cai como uma luva. Alguém ainda um dia irá contar os detalhes desse novo e encostado aeroporto. Aguardo ansioso...